Equipe Medalha de Ouro

 
03mai
 

As vinte e três horas do último sábado, partiu do Ginásio Ivan Rodrigues, rumo a São Paulo um ônibus com trinta e seis pessoas,  as quais são completamente apaixonadas pelo time de basquete de Joinville e principalmente pela modalidade esportiva basquetebol, essa já foi a primeira agradável surpresa da viagem, com pré julgamentos, pensei que viajaria com tietes apaixonadas pelos jogadores, mas não, me enganei ao ouvir a viagem toda comentários e escalações dos outros times da NBB, divergências de opiniões a respeito dos jogadores, suas qualidades técnicas, carisma, entre outros.

Confira a galeria de fotos

A “tripulação” era composta por casais, homens, mulheres e famílias, todos com histórias muito interessantes relacionadas ao basquete, que tive o prazer de conhecer durante o roteiro. Dentre essas pessoas conversei com Viviane, namorada de Audrei, mora um ano e meio em Joinville e namora oito anos o atleta da Araldite/Univille, o casamento será dentro de três meses, o que foi motivo de muito assunto durante a viagem. Uma das “figuras” mais animadas foi a Dna. Augusta, muito simpática, fez a integração dos que ainda não se conheciam, puxou as orações e ao mesmo tempo contava as piadas, andando de um lado para o outro do ônibus, brincava com todos e esbanjou carinho, facilmente entendi porque é chamada de “Mama” pela torcida organizada, além de ser nossa “mãezona” durante a viagem, é mãe do Augusto (atleta do Araldite/Univille) e André Góes (ex Joinville e atual Pinheiros), a pergunta que não quis calar foi feita, minutos antes da partida questionei para qual time ela iria torcer, “hoje não vou torcer, vim assistir o jogo”, revelou emocionada.

Aquela se tratava da segunda viagem da torcida para acompanhar o Basquete Joinville, a primeira foi em 2008, quando os patrocinadores da época levaram os apaixonados torcedores para Rio Claro, era o quinto jogo do play off contra time de Rio Claro e na ocasião foram todos muito felizes, pois o Joinville ganhou passando para as semifinais da Liga e encontrou o Flamengo que eliminou nosso time da temporada. Nessa viagem havia dez pessoas que foram na primeira aventura, muitas lembranças da viagem vieram, uma das principais, é que a torcida teve que sair escoltada da cidade.

Nossa viagem deu-se graças à organização de duas pessoas muito especiais e envolvidas com o basquete, os idealizadores da ida a São Paulo são Fernanda Souza e Genésio Krumheu, ambos trabalham na Univille e tem uma história muito parecida relacionada ao basquete, gostam há muitos anos e freqüentam desde criança, conforme o chefe de gabinete da reitoria da Univille, o basquete está presente na vida dele desde a época da ABAJ ( Associação de Basquete de Joinville), que na década de 90 fez  boas participações no antigo Campeonato Brasileiro de Basquete Masculino. O ônibus foi cedido pelos patrocinadores do time Araldite e Univille.

No ginásio encontramos vários torcedores do Joinville, um deles foi o irmão do Tiagão, me obriguei a fazer um registro do Ricardo (encontra-se na galeria de fotos da viagem), fisicamente os irmãos são muito parecidos, o pai do Tiagão contou orgulhoso que o filho também jogava basquetebol, “ele jogava tão bem quanto o irmão, mas sofreu um acidente e não pode mais jogar profissionalmente” lamentou.

Outros integrantes que me chamaram atenção, foi a família Boldt, são de Pirabeirada e foram em três pessoas, pai, mãe e filha, contaram com muita motivação da paixão que sentem pelo basquete e do orgulho que eles têm do time de Joinville, que na última quinta-feira de todos os meses, faz um trabalho voluntário no Hospital Bethesda, naquela região. Também mostram as carteirinhas de sócio torcedores números 02, 03 e 04.

Depois disso e muito mais, que infelizmente não conseguimos escrever tudo, principalmente os sentimentos, deu-se início a partida, era mais emoção ainda, tivemos um jogo muito movimentado, com picos de instabilidade, onde a diferença que era de dezoito pontos passou a três pontos, onde se pode constatar um time guerreiro, com raça e determinação. E sua torcida, ah, que torcida, ela motivou, gritou, aclamou o tempo inteiro seu time, dando um show à parte com sua alegria e animação, diante a tudo isso, a  torcida elitizada e até então muito contida do Pinheiros soltou a voz  fazendo o espetáculo ainda mais bonito.

Mesmo com a derrota para o Pinheiros e a conseqüente desclassificação, o retorno foi com a mesma alegria da ida, o sonho continua, a paixão tende a se transformar em amor e assim esperamos seguir o movimento que está cada dia tomando mais conta da cidade. Obrigada Basquete Joinville, obrigada Araldite/Univille pelo patrocínio e obrigada à torcida pelas 24 horas de companhia. Com toda certeza a Equipe Medalha de Ouro volta com a bagagem muito maior depois dessa viagem.

Luana Mira

 
 

EQUIPE MEDALHA DE OURO

(47) 3433-6589 - contato@equipemedalhadeouro.com.br